terça-feira, janeiro 27, 2009

Ano novo, Carro novo, Vida nova parte II - Adeus Kevin

Se vc já teve a experiência de trocar o seu primeiro carro , deve saber exatamente como é isso.

Sim, claro, todo mundo troca de carro, mas o primeiro carro é especial.

Sábado Dean saiu de casa para trocar meu Kevin por um outro Kia, menor, mais novo. Um plano que já tinhamos há algum tempo.

Mas planos são apenas planos até o momento que você percebe que chegou a hora de realizar seu plano, de colocá-lo em prática. Até esse momento, tudo é apenas um plano no campo das idéias, e não significa muito.

Na concessionária, Dean acabou trocando de idéia. Lá estava um VW Jetta GLI, 6 marchas, 2006, um modelo esporte caríssimo pelo preço de um Spectra novo. E VW aqui não desvaloriza como um Kia.

Dean optou pelo VW. Assinamos o contrato sábado mesmo. E estava selado. Quando saímos da concessionária Kevin estava conosco mas não seria por muito tempo. Ontem, segunda feira, seria o dia que o VW estaria pronto para levarmos pra casa. E seria o último dia que eu teria meu carrinho. Era o dia de entregá-lo como entrada para o VW.

Ontem foi o dia que entregamos Kevin. Foi o último dia que dirigi meu primeiro carrinho. Saímos para o trabalho de manhã juntos. Eu fui dirigindo até o meu trabalho, e Dean levou pra o trabalho dele. No fim do dia ele foi me buscar, e eu dirigi Kevin até a concessionária.

Kevin, um Kia Espectra 2001, transmissão manual, 5 marchas, foi o meu primeiro carro. E ele foi tão bom pra mim! Apesar de ser um carrinho barato, sem muito luxo, ele é um hatch, o que significa que o porta-malas abre todo, e cabe o mundo inteiro lá dentro. Graças ao hatch de Kevin fiz minhas mudanças nessa terra do tio Sam, comprei e transportei meus móveis novos e usados. Com ele visitei imóveis procurando um lugar pra morar.

Tivemos nossos maus momentos. Kevin quebrou umas duas vezes, uma vez na porta de casa, outra na estação do trem. Torei o pneu dele umas duas vezes. Uma graças a um prego, outra me livrando de um louco na interestadual. Eu fui malvada e deixei ele ser rebocado por estacionamento em local impróprio.

Foi Kevin que me levou pra minha nova casa todos os fins de semana dos meus primeiros meses de casada, porque eu tinha que passar a semana num outro estado por causa do emprego e da faculdade que eu tinha na epoca.

Ele veio com o shifter (aquele trocinho entre os bancos do carro que vc usa pra trocar de marcha, com os numeros da marcha em que vc está) padrao do Kia Spectra, e nós trocamos por um muito fofo do Honda Civic que compramos na internet. Um presente de namoro. Graças a essa pequena mudança, Dean criou a estúpida piadinha, toda vez que ele dirigia meu carro: "Esse carro é um Honda Civic?"

O que será de Kevin agora? Nao sei, certamente sera leiloado, pois autorizadas normalmente não tem carros 2001 para revender. Vai pra leilão, ou quiça será vendido na internet. Considerando a distribuição do espaço neste estado de Massachussetts, certamente ontem foi a última vez que vi meu carro nessa vida.

Muitos carros virao, eu sei, mas nunca vou esquecer meu primeiro carrinho. Foi um carro bom. Adeus, Kevin.

2 comentários:

Lua disse...

Dá pra botar uma foto do seu carro novo? Dan tb ganhou um carro novo do pai... Um outro GOL da VW ano 2007, 4 portas, ar, direção hidraulica e com grafite metalizado... um cinza escuro... lindoooo!

icleide disse...

já assistiu o antigo filme "Se meu fusca falasse..."?
Já ouviu,também antiga, a música do Roberto Carlos, "O calhambeque"?
Pois é, criamos afinidades também com objetos que nos acompanham nos mais inusitados momentos de nossa vida: quando a caminho do primeiro encontro, do primeiro dia de trabalho, que viu o choro da decepção ou do medo, ou da saudade... Enfim, que nos acompanhou nas mais diferentes emoções.
O que vale nisso tudo é que essa separação é símbolo de mais uma vitória.
Com certeza, virão outras despedidas e... será sempre muito bom.